E-CONS

 

Reserva bicudinho-do-brejo

Bianca Luiza Reinert

Ricardo Belmonte Lopes

Sobre o projeto

A partir da descoberta do bicudinho-do-brejo, Bianca passou a se dedicar exclusivamente ao estudo da ave, para conhecer a área e os ambientes de ocorrência da espécie, que possui na APA de Guaratuba a maior população conhecida, mais especificamente nas áreas úmidas. Todo o trabalho de pesquisa realizado por Bianca resultou em um estudo completo, podendo-se dizer que o bicudinho-do-brejo é uma das aves brasileiras mais conhecidas, base fundamental para que as questões relacionadas à conservação da espécie e da região avancem.

O esforço do projeto idealizado por Bianca para a manutenção da área natural e ações de pesquisa com resultados aplicados à conservação da espécie e do seu habitat, é a aposta do Programa E-CONS para que a iniciativa seja replicada para conservação da Mata Atlântica. Quanto à Reserva bicudinho-do-brejo, adquirida em 2009, Bianca pretende transformá-la em um cartão de visita para que outras pessoas sejam inspiradas a atuarem na conservação da região, adquirindo áreas e as transformando em RPPNs também. Desde a sua aquisição, a Reserva bicudinho-do-brejo tem favorecido a proteção da Lagoa do Parado, um local singular e de extrema importância biológica.

VOCÊ SABIA?

A região do Lagamar, com 1,6 milhões de hectares, é um dos últimos trechos de Floresta Atlântica contínua do Brasil e uma das áreas de maior biodiversidade do planeta. Sua importância biológica e a alta pressão a que está submetida devido à proximidade com os grandes centros urbanos (Curitiba e São Paulo) e usos conflitantes dos recursos, fizeram com que, a partir de 2003, instituições do terceiro setor, chefes de UCs e representantes de órgãos governamentais das três esferas se reunissem e buscassem o reconhecimento do Mosaico do Lagamar, ferramenta estratégica que deverá potencializar os esforços de conservação de toda a região. Atualmente o documento encontra-se no MMA, para encaminhamento final à Ministra que deverá assinar a Portaria de criação do Mosaico

Bianca-Reinert_Cr_dito-de-Ricardo-Belmonte-Lopes-(3)
Crédito: Ricardo Belmonte Lopes
Bianca-Reinert_Cr_dito-de-Ricardo-Belmonte-Lopes-(5)
Crédito: Ricardo Belmonte Lopes
Bianca Reinert_Cr_dito de Ricardo Belmonte Lopes (2)
Crédito: Ricardo Belmonte Lopes
Bianca Reinert_Cr_dito de Ricardo Belmonte Lopes (4)
Crédito: Ricardo Belmonte Lopes

Sobre Bianca Luiza Reinert

Apaixonada pelas paisagens abertas naturais – campos e áreas úmidas – e com grande afeição pelo estudo de aves, a bióloga Bianca Reinert teve seu interesse pela conservação da natureza despertado ainda na década de 80, quando cursava a faculdade. Logo após a formatura, o primeiro local de estudo em áreas abertas, conduzido pelo pesquisador e amigo Marcos Bornschein, foi na região da Mata Atlântica, entre Pontal do Sul e Matinhos, no litoral sul do Paraná. Durante a última fase de campo daquele projeto, Bianca teve uma surpresa e, junto com Marcos, descobriu o bicudinho-do-brejo, ave descrita em 1995, ano em que Bianca deu início ao projeto de mesmo nome.

O envolvimento de Bianca fez com que mais atores se envolvessem com o projeto, não apenas para estudar a espécie, mas também para conservar o bioma Mata Atlântica e a região de Guaratuba, área com maior concentração do bicudinho-do-brejo. Após a conclusão do doutorado de Bianca na UNESP de Rio Claro, em 2008, sobre a ecologia e comportamento do bicudinho-do-brejo, mais pesquisadores passaram a integrar o projeto e realizaram seus mestrados com aspectos relacionados à ecologia e genética da espécie.

Também, a partir de uma iniciativa particular de Bianca, ela e outras quatro pessoas de seu convívio adquiriram uma área para a conservação do bicudinho, na região da Lagoa do Parado, município de Guaratuba, um dos últimos remanescentes de floresta Atlântica primária do litoral sul do Paraná, sendo esta área denominada “Reserva bicudinho-do-brejo.

Resultados

Ação apoiada